11 de fev de 2011

Uma lembrança, um começo

Olhando para as ondas que vinham e ia num ritmo sincronizado, sem pressa, Edgar pensava. Não só sobre o passado, mas sobre um futuro bem presente. Estava longe de casa, da família e dos amigos. Restava a ele a namorada que estava o acompanhando na viagem. Saindo sem avisar, caminhou até a praia, ou pelo menos até um lugar dotado de ondas. O vento lhe soprava o cabelo, precisaria lavá-lo pensou, e se lembrou de um antigo trabalho do qual foi demitido sem uma causa consistente. Brigar com os malditos clientes que eram tão indecisos que o deixavam furioso. Não gostava do fato de eles serem abusados ao ponto de escolherem coisas e depois devolverem por falta de vontade. A vez decisiva foi quando ele se recusou a atender um ricaço que costumava comprar na loja, porém seu vendedor estava de férias, e ele fora solicitado. O cara era arrogante, e sempre reclamava da maioria das opções da loja. Não iria aturar ele, então meu chefe também não ia mais me aturar. Rua. Cá estou eu me lamentando e esperando a bondade de alguém que queira me contratar. Alguém? Levanto, dou as costas para as ondas e saio caminhando sem rumo. 

0 comentários:

Postar um comentário

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.