26 de mar de 2011

Com todo amor...

Tenho andado distraída. A minha viagem semana que vem implica em muitas mudanças. O país é novo, a cultura totalmente diferente. O que eu abandonar aqui dificilmente terei por lá. Mesmo assim, estou decidida a partir. Hoje briguei com minha mãe sobre isso. Ela acha que devido as altas taxas de suicídio na China, isso me afetará. Eu não comentei, eu irei para a China. E não, não vou me suicidar. HAHA. Eu ainda tenho a vida toda pela frente. Porém vou dormir pensando nesse problema. E isso vai se acumulando até o dia da viagem. Eu já estava a um mês por lá quando um fato me chamou a atenção. Eu com 32 anos era uma das únicas do meu curso que não era milionária. Me bateu um desespero, essa vida competitiva, cheia de problemas, essa agitação toda. Não era o que queria pra mim. Mesmo sendo inverno dirigi até a cidade litorânea mais próxima e com o carro em cima da ponte decidi me jogar.

18 de mar de 2011

"Duas pessoas só se machucam quando duvidam do amor que sentem" 
                                                                    Dogville   

Será que isso se aplica a mim? Não é o que eu acredito


                             XOXO- Imma Be


Minha alma não é gélida, só não expressa tanto amor.

17 de mar de 2011

Lua de mel

Anne receberia pela primeira vez o namorado em seu loft, e queria que ele estivesse apresentável. Não que a fama da sua casa fosse boa. Ele era um pouco assustador, lembrava uma casa antiga, cheia de amuletos e  estátuas de madeira. Sua mãe uma vez fizera um circo ao redor da decisão dela de pintar o loft de preto por fora. O síndico havia implicado, mas isso era questão superada. Tudo estava aparentemente pronto, e o jantar seria uma lasanha "molhenta", receita da sua avó. Anne queria que a noite fosse calma e aconchegante, jurava que esse namorado ela não perderia por nenhuma esquisitice do mundo. E assim fez. Uma adorável refeição, um adorável papo e uma deliciosa noite. E por anos isso poderia durar sonhava Anne. Mas como na vida dela nada era simples e a primavera não podia ser mais desastrosa apareceu um novo homem na sua vida. Isso de fato nunca havia acontecido na vida dela. Dividida e sem dúvida perdida ela não sabia em quem descarregar o fato de que podia não estar mais apaixonada pelo atual namorado. Tudo isso acompanhado de uma tequila, fez um estrago na noite que passou sozinha em casa. Pela secretária eletrônica ela havia ligado para os dois. MERDA. Só isso que pensava. Anne devia ter estragado tudo. Com os dois. Tomou uma atitude. Foi na casa do ex, tacou-lhe um beijo e um tapa e foi embora. Foi na casa do novo amor tacou-lhe um beijo e se declarou. Era com ele que queria ficar. E assim foi. Casaram e foram relativamente felizes. Ele só tentou se matar cinco vezes, porém foi sempre salvo.

15 de mar de 2011

Damn Sweet: My?

Damn Sweet: My?: "We have the habit of thinking that everything belongs to us."

Tirado do Post My? por Damn Sweet  
                                          xoxo-Imma Be

13 de mar de 2011

Uma falsa cortesã

1920- Ikumat era a nova gueixa de uma famosa okiya ao norte do Japão. Seus pais a haviam vendido pela necessidade de dinheiro, e ela estava inconformada com a situação. Levada a força pela okaasan foi educada para ser uma perfeita gueixa. Enquanto maiko ela aprendia a dançar, tocar e a ser uma perfeita acompanhante. A vida de luxo compensava as dificuldades para se tornar uma grande gueixa. Ikumat tinha uma onee-san muito prestativa e podia ser frequentemente vista em banquetes e festas. Porém Ikumat não queria essa vida para ela. Seus interesses eram maiores do que ser acompanhante de poderosos homens de negócios. O quimono comprido e o penteado grande indicavam que ela era ainda maiko mas o estágio já estava quase se esgotando. Em um dos banquetes, ela então conheceu Gomã, o concorrente a primeiroministro do Japão. Ele muito encantado com a beleza e a dança da jovem passou a recusar outras gueixas e esperar pelo amadurecimento da jovem maiko.  Ikumat não queria casar, pretendia continuar como gueixa afinal, já havia se acostumado com o padrão muito bom de vida, assim com seu novo obi e seu colarinho branco estava formada e passava a ser uma geiko. Podendo então ser um acompanhante estava cheia de pretendentes que queriam desfrutar de sua companhia, e ela, num impulso sentou-se perto Gomã, pois gostava da maneira como ele a olhava e a cortejava. Passaram então a serem amigos, companheiros, amantes. Essa condição deixava Ikumat deprimida pois dificultava ela de levar seu plano a diante, porém ela era mulher de uma palavra só. Gomã, eleito primeiroministro, queria a companhia exclusiva de Ikumat e para isso tornou-se o seu danna, desligando-a da okiya e bancando-lhe uma nova casa. Perto de concluir seu plano, ela pegou todos os itens necessários e os levou ao quarto, onde a noite ela finalmente o botaria em prática. Gomã chegou tarde, mas hoje seria a primeira noite que ele teria com sua amada gueixa. Ela estava deitada esperando-o. Ele chegou calmamente e deitou-se em cima dela, quando afundou sua cabeça no seu pescoço ela o acertou com sua adaga de prata. Um único golpe, certeiro e firme. Livre enfim.

10 de mar de 2011

Uma tigela de sopa

Eu ando meio deprimida, com todos os problemas que surgiram de uma hora pra outra e eu tenho certeza de que a qualquer momento eu vou explodir. SÉRIO. Por que ter 17 anos só é fácil se for um filme, e olha que ultimamente nem em filme isso ficou fácil. O novo casamento da minha mãe está me matando, o cara além de mala é um escroto. Tudo bem que ela afirma que ele é o amor da vida dela, mas alô, ela não tem mais 15 anos. A eu não mencionei, ela casa amanhã e eu já prevejo o desastre. Quem além dela convidaria o ex-marido? Pior são as hippies com quem ela morou na Argentina. Felicidade me parece algo distante por aqui, com o caos em que a decoradora deixou o salão, porque ela acabou fugindo com um ex-presidiário com quem ela havia namorado (história da qual eu não fui poupada nas horas em que eu tive que ajudar na arrumação). Se não fosse suficiente meu namorado resolveu me deixar, é isso mesmo, largada, no meio desse tumulto todo. "Giovanna mudei de ideia, liga lá pro teu pai e diz que eu vou me casar no quintal da casa dele". ??? Ela surto de vez, só pode ser brincadeira. "Já liguei preguiçosa, estamos de mudança, vamos!". Nesse momento eu devia fugir, mas não conseguiria abandoná-la. Por isso como boa filha ajudei na mudança da festa, e quando ficou tarde fui dormir. O pior dos dias estava para começar quando um telefonema que não podia ser melhor acabou com a felicidade da minha mãe. Minha irmã mais velha tinha chaga de madrugada, e visto meu padrasto ainda acordado. Segundo ela foi amor à primeira vista e eles fugiram para Vegas afim de se casarem. Eu estava chocada e querendo consolar minha mãe quando... MÃE? MÃÃE? 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.