13 de mar de 2011

Uma falsa cortesã

1920- Ikumat era a nova gueixa de uma famosa okiya ao norte do Japão. Seus pais a haviam vendido pela necessidade de dinheiro, e ela estava inconformada com a situação. Levada a força pela okaasan foi educada para ser uma perfeita gueixa. Enquanto maiko ela aprendia a dançar, tocar e a ser uma perfeita acompanhante. A vida de luxo compensava as dificuldades para se tornar uma grande gueixa. Ikumat tinha uma onee-san muito prestativa e podia ser frequentemente vista em banquetes e festas. Porém Ikumat não queria essa vida para ela. Seus interesses eram maiores do que ser acompanhante de poderosos homens de negócios. O quimono comprido e o penteado grande indicavam que ela era ainda maiko mas o estágio já estava quase se esgotando. Em um dos banquetes, ela então conheceu Gomã, o concorrente a primeiroministro do Japão. Ele muito encantado com a beleza e a dança da jovem passou a recusar outras gueixas e esperar pelo amadurecimento da jovem maiko.  Ikumat não queria casar, pretendia continuar como gueixa afinal, já havia se acostumado com o padrão muito bom de vida, assim com seu novo obi e seu colarinho branco estava formada e passava a ser uma geiko. Podendo então ser um acompanhante estava cheia de pretendentes que queriam desfrutar de sua companhia, e ela, num impulso sentou-se perto Gomã, pois gostava da maneira como ele a olhava e a cortejava. Passaram então a serem amigos, companheiros, amantes. Essa condição deixava Ikumat deprimida pois dificultava ela de levar seu plano a diante, porém ela era mulher de uma palavra só. Gomã, eleito primeiroministro, queria a companhia exclusiva de Ikumat e para isso tornou-se o seu danna, desligando-a da okiya e bancando-lhe uma nova casa. Perto de concluir seu plano, ela pegou todos os itens necessários e os levou ao quarto, onde a noite ela finalmente o botaria em prática. Gomã chegou tarde, mas hoje seria a primeira noite que ele teria com sua amada gueixa. Ela estava deitada esperando-o. Ele chegou calmamente e deitou-se em cima dela, quando afundou sua cabeça no seu pescoço ela o acertou com sua adaga de prata. Um único golpe, certeiro e firme. Livre enfim.

3 comentários:

Sweet Monster disse...

Imma Be me deixa cada vez mais e mais ansiosa com os seus posts, estou realmente amando! Dramas assim me encantam.

Ander disse...

Olha, gostei bastante dessas histórias, e são bastante criativas. Muito legal.

Imma Be disse...

Obriiigada gente!! XOXO-Imma Be

Postar um comentário

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 Unported License.